15 de mar de 2010

O que é Eco-alfabetização e Escola sustentável?

O que é uma escola sustentável?


Existem muitas definições sobre o que é sustentável. A mais apropriada que encontramos diz que o sistema em que vivemos deve satisfazer nossas necessidades de crescimento e manutenção armazenando mais energia do que a despendida para construí-lo. Isso quer dizer que nosso foco deve estar em obter o que precisamos no presente sem comprometer a estrutura para que as gerações futuras possam fazer o mesmo. A escola sustentável busca ensinar as crianças a viver dentro dessa lógica. Produzir ao invés de consumir e gastar. Só assim será possível difundir o conceito e aplicá-lo.

Para muitos estudantes o futuro parece incerto e até assustador. Por isso, existe a necessidade dessa interpretação mais ampla da educação. É preciso mudar o foco e escolher temas que ofereçam as ferramentas para construir um futuro sustentável. Isso envolve um aprendizado contínuo e interdisciplinar. E o meio-ambiente pode fazer essa ponte!

A eco-alfabetização traz em si mesma conceitos básicos da sustentabilidade. Programas que descobrem a natureza pela ciência, matemática, literatura, arte e ciências sociais permitem investigações práticas e encorajam avaliações críticas fundamentais para que tenhamos adultos capazes de viver de forma sustentável.

A reorientação da educação envolve não somente aumentar o conhecimento do aluno, mas incentivar o desenvolvimento de habilidades e valores que motivarão para estilos de vida sustentáveis. Já está comprovado que elevar o grau de instrução das pessoas não é suficiente para alcançar sociedades sustentáveis. Por isso estamos aqui. Nós e você. A escola-sustentável propõe uma educação básica que inclua o ensino de valores, a promoção do cuidado com o planeta, o cuidado com as pessoas e a partilha justa de recursos.

Como fazer isso?

O ensino da sustentabilidade deve começar com projetos. Eles enfatizam o pensamento crítico, a resolução de problemas, a tomada de decisões, análise, o aprendizado cooperativo, liderança e a capacidade de comunicação. Já o meio ambiente deve entrar como uma coisa divertida e dinâmica, algo que mostre para os futuros cidadãos que nós fazemos parte do que chamamos natureza e que não é apenas na semana dedicada ao meio-ambiente, ou no dia da árvore, que devemos pensar sobre ela. E mais uma vez você pergunta: como? A permacultura (inventada pelo australiano Bill Mollison na década de 70) tem algumas dessas respostas. Ela é um pacote pedagógico, uma metodologia para a criação de ambientes produtivos, sustentáveis e ecológicos que possibilitam o homem habitar a terra sem destruí-la.

E não pense que a escola é pequena demais para isso, ela é ideal. Começar envolvendo as crianças com os canteiros e espaços verdes da área escolar é o início perfeito do relacionamento entre esses pequenos seres humanos e a natureza. Lembre, estamos dando apenas o primeiro passo! Você vai ver como esses espaços, verdadeiras salas de aula ao ar livre, são capazes de entusiasmar e envolver seus alunos.

Veja através da tabela uma comparação entre o ensino tradicional, centrado no professor, e o ensino que propomos, aberto e centrado no aluno.

Educação centrada no professor

• Professor ensina, os alunos são ensinados;

• Professor sabe tudo;

• Professor pensa sobre os alunos;

• Professor é o sujeito do conhecimento e os alunos são o objeto.

Educação centrada no aluno

• Partilha a informação;

• Gera opções de aprendizado criativo e auto-iniciado;

• Alunos envolvidos no processo;

• Ênfase na avaliação holística;

• Alunos contribuem para a seleção das experiências de aprendizagem;

Como vemos, os modelos centrados no aluno são fundamentais para a criação de uma consciência sustentável. Eles oferecem processos interativos que podem ajudá-los a se sentirem responsáveis por seu aprendizado, desenvolvendo habilidades. Esse modelo de educação oferece ferramentas para restabelecermos o controle sobre o aprendizado, dirigindo nosso futuro para a sustentabilidade.

Mundo sustentável

O consumismo está se alastrando pelo mundo na busca de satisfação pessoal. Roupas novas, plásticos, carros, telefones celulares… Nesse processo o mundo está sendo destruído pelo esgotamento de recursos naturais utilizados na fabricação desses produtos. Um futuro sustentável implica na mudança de padrões insustentáveis de consumo, permitindo qualidade de vida com novos hábitos.

Para viver eticamente você não precisa parar de fazer compras. Mas a ética traz idéias novas, ajuda a economizar e gera dinheiro! Por exemplo: você pode adquirir produtos que tenham uma vida mais longa, que sejam de fácil conserto ou produzidos em sua região. Produtos mais duradouros evitam a necessidade de troca, os de conserto mais simples também. E a escolha de produtos locais pode economizar energia, além de eles serem mais baratos!

O mundo sustentável pede raciocínios como esse e, principalmente, que os estimulemos em nossas crianças. Com educação, escolhas adequadas e um comportamento responsável podemos reduzir o lixo, favorecendo o meio-ambiente.







Pará tem primeira escola sustentável

Ana Greghi - 25/03/2010

A escola de ensino fundamental Dr. Carlos Guimarães, localizada no bairro Marambaia, Belém, já pode ser considerada a primeira escola sustentável do Pará. De acordo com o governo do Estado, em parceria com Secretaria de Estado de Educação (Seduc), a escola a foi totalmente reformada para que estivesse em harmonia com o meio ambiente.

O projeto foi concebido com sistema de aproveitamento da água da chuva destinada à limpeza da escola, coleta de lixo seletiva, além da reciclagem de garrafas pet e papel. A escola reservou espaço também para implantação do projeto “mesa saudável”, por meio do cultivo de horta. A reforma custou R$ 807 mil. A partir de agora, 560 alunos entre do ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA) poderão usufruir da escola sustentável.

Fonte: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticias/para-planeta-sustentavel-escola-543318.shtml



Nenhum comentário: